saio do trabalho mais cedo e apanho o comboio para London Bridge. O concerto começa ás 1930 no Barbican e ainda tenho tempo de largar uns certificados de aforro em troca de uma baguete e um latte. Péssima ideia!! Andar carregado com uma mochila, um copo e uma baguete no tubo em plena hora de ponta é considerado um desporto radical.

Chego ao Barbican dentro do previsto. como seria de esperar a Aninhas está atrasada: – Não há metro! – diz ela. pois, pois! a desculpa do costume 😀

— // —

o primeiro concerto foi muito porreiro. desconhecia por completo a banda AWADI, mas os tipos tem um grande feeling e a interacção com o público foi demais! uma espécie de hip hop west african com instrumentos tradicionais e muita boa disposição.

O concerto de Salif Keita foi a experiência da noite!!!!! foi a primeira vez que o vi ao vivo e posso dizer que arrepia.


o percussionista da banda era demais!!
– hey fipas posso dizer que estavas bem presente!! ( o gajo até tocou talking drum ;))

para acabar as festividades veio o afrobeat do Tony Hallen. Fiquei um pouco decepcionado. Não se ouviam as congas e o tipo do trompete não tinha jeito nenhum para a cena. Quanto muito deveria ter sido esta banda a abrir as hostilidades e não a terminar, mas enfim.

depois foi lamb shish, xixi e cama!!

ps à aninhas e à mitra do castelinho : obrigado pela hospitalidade!! voto na ideia de porem anúncios do quarto do alex nas cabines telefónicas 😀